Eis Aqui Porque a Rússia Pode Muito em Breve Proibir o Dia das Bruxas

A festa contradiz diretamente a maior religião nacional da Rússia

Nós recentemente publicamos um artigo do Moscow Times que noticiava sobre a proibição do Dia das Bruxas nas escolas por uma grande província da Rússia. A província em questão é o equivalente de um estado na administração Brasileira.

Naturalmente, o Moscow Times apresentou a história como apenas mais um exemplo da estranheza da Rússia.

O Moscow Times parece estar inocentemente ignorante acerca dos fatos mais básicos sobre o país que eles, de contínuo, noticiam deturpadamente.  

Aqui temos uma explicação de um site Americano Cristão Sérvio que elucida porque o Cristianismo Sérvio (e também o Russo) condena a celebração do Dia das Bruxas.

O site foi escrito por um santo Sérvio moderno, que passou os últimos 10 anos de sua vida nos Estados Unidos, na Pennsylvania: o São Nicolau Velimirovic (Wikipedia).

Enquanto Cristãos Ortodoxos, precisamos examinar cuidadosamente cada aspecto do nosso envolvimento neste mundo, suas atividades, feriados e festivais, a fim de nos certificarmos se esses envolvimentos são ou não compatíveis com a nossa Santa Fé Ortodoxa.

Já há algum tempo, tudo que acontece no mundo externo nos lembra que o Dia das Bruxas se aproxima: nas escolas as nossas crianças se ocupam em pintar abóboras, recortar e colar morcegos, fantasmas e bruxas, planejando com qual fantasia irão participar das "gostosuras ou travessuras".

A maior parte de nossas escolas, das organizações das comunidades locais e do entretenimento na televisão, rádio ou da mídia irão divulgar e enfatizar o feriado do Dia das Bruxas. Muitos dos nossos participarão desse feriado indo para festas à fantasia, ou levando nossas crianças para participar das "gostosuras ou travessuras" pela vizinhança durante a noite do dia 31 de outubro.

Muitos de nós participarão das festividades do Dia das Bruxas convictos de que não há nenhum outro significado mais profundo além da diversão e do agito para as crianças. A maioria de nós não conhece a origem histórica do feriado do Dia das Bruxas e de seus costumes.

A festa do Dia das Bruxas começou em tempos pré-Cristãos dentre os povos Celtas da Bretanha, Irlanda e Norte da França. Aqueles povos pagãos criam que a vida física provinha da morte. Portanto, celebravam o começo do "novo ano" no outono, na véspera do dia 31 de outubro até o dia primeiro de novembro, quando, criam eles, tinha-se início a estação do frio, treva, apodrecimento e da morte. Instruídos por seus sacerdotes, os Druidas, as pessoas apagavam todas as chamas e luzes e as trevas prevaleciam.

De acordo com a tradição Celta pagã, as almas dos mortos haviam entrado no mundo das trevas, apodrecimento e morte, estabelecendo completa comunhão com Samhain, o senhor da morte, que somente poderia ser apaziguado e persuadido por ofertas de holocausto, que então permitia que as almas dos mortos voltassem para casa em uma visita festiva nesse dia.

A crença levou ao rito praticado de se perambular pelas trevas com vestimentas que lembram bruxas, goblins, fadas e demônios. Os vivos entravam em comunhão e sociedade com os mortos por este ato ritual de imitação, através das vestes e do perambular nas trevas.

Eles também criam que as almas dos mortos suportavam a grande aflição da fome durante esta visita festiva. Essa crença trouxe a prática da súplica como outra imitação ritual das atividades das almas dos mortos em sua visita festiva. A implicação era que se qualquer alma dos mortos e/ou de seus imitadores não fosse apaziguada com "gostosuras", i.e., oferendas, isso provocaria a ira de Samhain, cujos anjos e servos poderiam retalhar por meio de um sistema de "travessuras", ou maldições. 

Na pura e antiga Igreja Celta Ortodoxa, os Santos Padres tentaram contra-atacar esse festival de ano novo pagão pelo estabelecimento da festa de Todos os Santos no mesmo dia (no Oriente, esta festa é celebrada em outra data). Na noite que antecedia à festa, se tinha uma vigília e depois uma celebração Eucarística pela manhã. Este costume criou o termo Halloween [N.T.: O termo "Vigília de Todos os Santos" é, em inglês, "All Hallows Eve", semelhante em pronuncia ao conhecido termo inglês "Halloween"].

Contudo, os pagãos remanescentes e, portanto, anti-Cristãos, reagiram à tentativa da Igreja de suplantar seu festival com fervor ainda maior naquela noite, de modo que a noite que antecedia a festa Cristã de Todos os Santos se tornou uma noite de feitiçaria, bruxaria e outras práticas e crenças. Vestes de esqueletos, por exemplo, foram desenvolvidas como uma zombaria da reverência da Igreja pelas santas relíquias. Coisas santas eram furtadas e utilizadas em rituais sacrílegos.

A prática das súplicas [N.T.: por "gostosuras] se tornou um sistema de perseguição aos Cristãos, que se recusavam de participar nessas festividades. Assim, a tentativa da Igreja de contra-atacar esse festival pagão falhou.

Esta é apenas uma breve explicação da história e do significado do feriado do Dia das Bruxas. Está claro que nós, enquanto Cristãos Ortodoxos, não podemos participar neste evento de qualquer maneira (ainda que somente taxado de "diversão"), e que nosso envolvimento é uma idólatra traição de nosso Deus e de nossa Santa Fé. Pois se imitamos os mortos ao nos vestirmos ou perambularmos nas trevas, ou por suplicar junto deles, então teremos voluntariamente buscado sociedade com os mortos, cujo senhor não é um Samhain Celta, mas Satanás, o maligno, que se opõe a Deus.

Portanto, se recebermos o diálogo das "gostosuras ou travessuras", nossas oferendas não vão para crianças inocentes, mas antes para o próprio Satanás.

Relembremos nossos ancestrais, os Santos Mártires Cristãos da antiga Igreja, bem como de nossos Novos Mártires Sérvios que se recusaram - apesar de dolorosas penas e horrendas perseguições - a adorar, venerar ou prestar honra de qualquer maneira aos ídolos que são anjos de Satanás. A fundação de nossa Santa Igreja foi lançada sobre seu sangue.

No mundo de apatia e indiferença espiritual de hoje, que são as raízes do ateísmo e do abandono de Deus, as pessoas são incentivadas a desconsiderar as raízes e origens espirituais de práticas seculares quando suas formas externas parecem comuns, divertidas e inofensivas. O dogma do ateísmo abarca muitas dessas práticas, negando a existência tanto de Deus quanto de Satanás.

Nossa Santa Igreja, por meio de Jesus Cristo, ensina que apenas Deus julga sobre todas as coisas, por isso cremos verdadeiramente que nossas ações são ou em prol de Deus, ou contra Deus. Ninguém pode servir a dois mestres.

Assim, que não apaguemos as luzes de nossos corações e perambulemos nas trevas em imitação das almas mortas, como os Celtas pagãos fizeram. Antes, acendamos nossas lâmpadas de vigília diante de nossos ícones gloriosos e, juntamente com nossas famílias, oremos a Deus para que nos dê fé e coragem para permanecermos Cristãos Ortodoxos nestes dias de dificuldade, e que nos livre do Maligno.



-São Nicolau (Velimirovic)

  • Shqip
  • العربية
  • English
  • Français
  • Deutsch
  • Bahasa Indonesia
  • Português
  • Русский
  • Español