Quando Deus Permite o Sofrimento e Não nos Conta o Porquê - Uma Compreensão Ortodoxa do Livro de Jó

Quando Deus faz Sua entrada, Ele não fala o porquê. Em vez disso, Ele leva Jó em uma viagem cósmica pela criação e o lembra que não importa o quão pequenas ou grandes são as coisas no cosmo, ainda estas estão além da completa compreensão de Jó. Ele não poderia comprender o governo de Deus sobre todo o sistema ainda que ele tentasse...

 é um dos meus livros favoritos do Antigo Testamento.

Ele começa com um desafio. Deus declara o quão justo e imaculado é Jó. Satanás então afirma que Jó apenas é bom porque Deus o dá riqueza e saúde. Ele diz que Deus não é amado por quem É, mas que apenas faz mercenários.

Assim como nós, as personagens estão completamente ignorantes do que está acontecendo nos bastidores e passam a maior parte de seu tempo tentando entender por que Deus estava permitindo Jó sofrer tantos males.

Quando Deus faz Sua entrada, Ele não fala o porquê. Em vez disso, Ele leva Jó em uma viagem cósmica pela criação e o lembra que não importa o quão pequenas ou grandes são as coisas no cosmo, ainda estas estão além da completa compreensão de Jó. Ele não poderia comprender o governo de Deus sobre todo o sistema ainda que ele tentasse - e ele certamente não poderia tomar o controle mesmo que ele tentasse.

Deus descreve o Beemote e o Leviatã e diz a Jó que até mesmos estes estão sob suas rédeas.

As personagens humanas todas assumiam que, de alguma forma, o mundo deveria ser equitativo se Deus é justo. Deus os mostra que este mundo caído não é equitativo e Ele não governa o mundo por meio da equitatividade. Em vez disso, Ele governa o cosmo danificado em sabedoria.

Através de todas essas coisas, Jó nunca reclamou sobre a perda de sua riqueza ou saúde, o que ele realmente queria era seu relacionamento com Deus. Ainda que tenha passado momentos de dúvida, ele também continuou a confiar: "Embora ele me mate, AINDA assim esperarei nele" (Jó 13:15). Quando Deus apareceu em uma teofania, Jó parou de perguntar por que essas coisas tinham acontecido: "Mas agora meus olhos te viram". Jó estava satisfeito.

Depois Deus restaurou todas as coisas para Jó, mais do que ele tinha antes. Não como uma recompensa por ter passado em algum teste, mas como um simples dom da graça.

No final, aquele grande dragão - o verdadeiro Leviatã - o Diábo, é provado errado. Deus é amável e justo. As pessoas o amam por quem Ele É e não apenas pelas coisas que Ele pode dar.

Eu me deparei com uma ótima citação que resume tudo, sempre que pensamos que nós podemos governar as coisas melhor do que Deus. Ela foi dita por um Francês do séc. XIX, renomado por sua habilidade de oratória. Seu nome era J.M.L. Monsabre, e ele disse: 

"Se Deus me concedesse Sua onipotência por 24 horas, vocês veriam quantas mudanças eu iria fazer no mundo. Entretanto, se Ele também me desse Sua sabedoria, eu deixaria as coisas do jeito que elas se encontram".

Com sabedoria, estejamos atentos!