Proibido de Usar Cruz na Foto Escolar, Embora as Muçulmanas Tiveram Permissão Para Manter os Hijabes

Originally appeared at: Sputnik International

O incidente foi denunciado ao Provedor de Justiça contra a Discriminação e condenado como exemplo de “insensibilidade” contra a religião e parcialidade.

Um estudante de 15 anos não foi permitido usar uma cruz ao posar para uma foto conjunta em uma escola Sueca no início deste outono. Outros alunos, no entanto, foram autorizados a usar seus símbolos religiosos, relatou o jornal Cristão Dagen.

“Eu usava um suéter roxo com gola, minha cruz pendurada do lado de fora. Eu tinha uma corrente bastante longa e uma cruz de metal com Jesus”, disse o menino ao Dagen.

Segundo o jovem de 15 anos, que preferiu manter o anonimato, uma fotógrafa pediu-lhe que retirasse a cruz, insinuando que seria ofensivo incluí-la na foto escolar. O menino ficou reconhecidamente chocado e mortificado, mas obedeceu e colocou a cruz no bolso.

“Não sou do tipo que gosta de brigar. Eu dei a ela um olhar significativo, para que ela entendesse que eu achava isso estranho. Sei que quem usa hijabe não precisa tirá-lo. Claro, eu gostaria que nada disso acontecesse. Mas se fui forçado a tirar minha cruz, o mesmo deveria se aplicar a outros símbolos religiosos”, explicou o menino.

O jovem de 15 anos diz que ele e sua família são ativos na Igreja da Suécia e que todos na classe sabem há muito tempo que ele é um Cristão, o que é totalmente aceito e sem problemas.

O incidente foi agora relatado ao Provedor de Justiça contra a Discriminação (DO) e ao Provedor de Justiça das Crianças e Alunos (BEO).

“Isso pode parecer uma bagatela. Mas, em última análise, é sobre que tipo de sociedade queremos e quanto vale a nossa liberdade religiosa. Então, um acontecimento como esse se torna sério e uma questão de princípio”, disse o pai do menino. “Não se trata de nutrir qualquer ressentimento em relação à escola, mas que é importante reagir à insensibilidade que existe em relação à religião, inclusive para crianças e jovens Cristãos".

Ele também sugeriu que a situação teria sido completamente diferente se um fotógrafo escolar pedisse a uma aluna para tirar o hijabe Muçulmano ou a estrela de Davi Judia.

“Isso teria sido um abuso terrível. Mas quando se trata de um símbolo Cristão, então não parece tão perigoso”, refletiu.

O diretor da escola se distanciou do incidente e disse que o fotógrafo errou. A empresa fotográfica respondeu que o fotógrafo tinha experiência limitada com fotografia escolar.

Até 1919, o sistema escolar Sueco era Cristão e tinha ligações estreitas com a igreja. Hoje, a Suécia proíbe que elementos religiosos sejam incluídos no currículo escolar. Em escolas independentes, as atividades extracurriculares podem conter elementos religiosos de forma voluntária.