As Vacinas Contra COVID-19 da Pfizer/Moderna Usaram Células Fetais de Abortos nas Fases de Teste

Uma vacina não pode ser considerada ética se células de bebês abortados foram usadas no desenvolvimento, produção ou teste da vacina. As vacinas contra COVID-19 da Pfizer e Moderna não usaram células fetais para o desenvolvimento ou produção, mas, infelizmente, as utilizaram nas fases de teste. Portanto, de uma perspectiva Cristã, essas vacinas não podem ser consideradas éticas...

MORE:Notícias

Divulgando falsamente acerca das vacinas contra o COVID-19 da Pfizer e Moderna, alguns sites afirmam que essas duas novas vacinas são totalmente éticas, não envolvendo o uso de linhagens celulares de bebês abortados. Seria bom se assim fosse, mas, infelizmente, é apenas uma meia verdade.

É verdade que o desenvolvimento e a produção das vacinas contra o COVID da Pfizer e Moderna  não envolveram linhagens de células fetais. Contudo, após o desenvolvimento inicial e antes do lançamento ao público, ambas as vacinas foram submetidas a processos de teste. Esses testes envolveram o uso de células renais retiradas de uma menina que foi assassinada no útero antes de nascer.

O Instituto Charlotte Lozier publicou um gráfico criado pelo Dr. David Prentice, fornecendo informações sobre as linhagens celulares derivadas de aborto utilizadas nas várias vacinas contra o COVID-19 disponíveis em todo o mundo. O gráfico completo pode ser visto através do seguinte link:

Atualização: Potenciais vacinas contra o COVID-19 e células de linhagem abortiva

Em particular, as vacinas da Pfizer e Moderna usaram células HEK 293 em certos testes de laboratório de pós-produção. Como pode ser visto no gráfico referenciado acima, muitas outras vacinas COVID foram criadas e / ou testadas em conjunto com o mesmo tipo de células fetais. A fonte de HEK 293 é uma linhagem celular que veio dos tecidos de uma menina abortada.

Uma vacina não pode ser considerada ética se células de bebês abortados tiverem sido utilizadas no desenvolvimento, produção ou teste da vacina. As vacinas contra o COVID-19 da Pfizer e Moderna não usaram células fetais para o desenvolvimento ou produção, mas, infelizmente, as utilizaram nas fases de teste. Portanto, de uma perspectiva Cristã, essas vacinas não podem ser consideradas éticas.

A Pfizer e Moderna não são as únicos infratoras. Como pode ser visto no gráfico acima, quase todas as vacinas COVID-19 envolvem o uso de tecido fetal de crianças abortadas. Essas vacinas envolvem o tecido fetal nas fases de desenvolvimento, produção ou teste. Algumas vacinas envolvem células fetais em todas as três fases.

Na luta contra o aborto, é importante que os Cristãos evitem usar qualquer tecido de bebês abortados, seja por que motivo for. Não há nenhum "benefício" médico que possa justificar o assassinato de um feto.

MORE:Notícias