Patriarca Ortodoxo de Antioquia Convida Muçulmano Para Falar Blasfêmia Dentro da Igreja e Depois Trocam o Ósculo da Paz

Uma blasfêmia após a outra: Jesus é apenas um profeta. O profeta Jesus e o profeta Maomé são irmãos. O Espírito Santo é o Arcanjo Gabriel. Os Cristãos devem orar nas Mesquitas. Os Muçulmanos devem fazer orações Islâmicas nas Igrejas Ortodoxas. As orações da Igreja e da Mesquita sobem ao céu como uma só. . .

MORE:Notícias

O Patriarca João X —  o Bispo que lidera a Igreja Ortodoxa Antioquina - convidou o Grande Mufti Islâmico da Síria para uma Igreja Ortodoxa, diante da iconóstase, e o convidou para se dirigir à congregação. Enquanto esse Muçulmano negava publicamente a divindade de Cristo e a divindade do Espírito Santo, o Patriarca João não disse nada. Enquanto ele defendia a oração Islâmica dentro das Igrejas Ortodoxas, o Patriarca não disse uma palavra. Quando ele disse que Muçulmanos e Cristãos adoram o mesmo Deus, e que Deus aceita orações de Cristãos e Muçulmanos, o Patriarca permaneceu em silêncio.

Após testemunhar dezoito minutos de blasfêmia ininterrupta, o Patriarca João X trocou o ósculo da paz com esse clérigo Muçulmano, enquanto a congregação aplaudia. O vídeo a seguir tem legendas em Português. Uma transcrição completa está disponível abaixo.

TRANSCRIÇÃO

A palavra de Sua Eminência, o Mufti da República Árabe da Síria, Dr. Ahmad Bader Addine, na ocasião da véspera de Ano Novo na Catedral de Santa Maria, no dia 1º de janeiro de 2017.

Que a paz, a misericórdia e as bênçãos de Deus estejam com vocês, em nome de nosso Deus único que nos criou a todos, cuja misericórdia nos encheu e que teve compaixão de nós através de Sua Presença galardoadora. Sua Beatitude, meu querido amigo e meu querido irmão, que carrega conosco a mensagem do céu, a mensagem de paz, amor e misericórdia.

Outrossim, meus queridos irmãos em Alepo, os mais hospitaleiros, ausentes no corpo, mas presentes no espírito, Arcebispo Paulo e Arcebispo João - peço a Deus por seu descanso.

Meus mui hospitaleiros irmãos e irmãs, neste exato momento em que estou aqui, no final do reto caminho com o qual ensinamos ao mundo inteiro que uma pessoa chega a Damasco carregando ódio, rancores e assassinatos em seu coração, e Damasco muda seu coração, e ele o deixa carregando amor, paz e fé.

Por acaso Paulo (o apóstolo) não entrou em Damasco um dia para apagar as chamas da fé no coração das pessoas e destruir a luz de Cristo no coração das pessoas? Todavia, Damasco conseguiu convertê-lo de inimigo em amigo, de odiador em amante e de odiado em amado.

Esta é a Síria em que permaneço hoje, em sua Catedral de Santa Maria, para falar ao mundo inteiro e dizer a eles...

Vocês ouviram há algumas semanas atrás que as Mesquitas em Jerusalém foram silenciadas e suas Azan (orações Islâmicas) foram proibidas. Que venham aprender com Damasco, pois se pode ver as orações das Igrejas e as Duas (orações) das Mesquitas se abraçando enquanto sobem ao céu como uma só de fato.

Vocês sabem, queridos, por que nossos antepassados ​​decidiram em uma data histórica que é um número com uma mensagem significativa?

Por que eles nos fizeram calcular a data do nascimento de Cristo (que a paz esteja com ele) - 2017 anos? Por que eles nos fazem contar da Hégira (migração) de nosso profeta Maomé (que a paz esteja com ele) - 1438 anos? Por que eles escolheram as datas do Natal e a Hégira?

Todos nós aqui no Oriente, em nossas escolas, marcamos nossas datas com esses números, mas nunca ensinamos a nossos filhos os segredos por trás deles. Todos os dias seguro um lápis para escrever a data: 2017. O que essa data significa?

Por que o mundo escolheu o nascimento de Cristo para datar seus anos? O mundo inteiro hoje usa essa data para um Feliz Natal. É apenas um número? Ou uma lembrança? Ou uma festa em uma boate? Ou orações e invocações nas Igrejas? Ou é seria ainda mais e mais e mais do que tudo isso?

De fato, nossos ancestrais apenas escolheram uma data para o Natal a fim de que possamos aprender alguma coisa. Isto é: durante o dia de Natal, uma luz brilhou tão forte que a escuridão foi se esconder. A anunciação tornou-se uma luz que leva os seres humanos a uma vida de paz.

Quando nosso Deus diz - tanto na Bíblia quanto no Alcorão - sobre Cristo (que a paz esteja com ele), que ele é a própria paz e que traz a paz aos outros:

"E a paz estava sobre mim no dia em que nasci, no dia em que morri e no dia em que ressuscitei" (Alcorão - Maryam 19:33)

É isso que precisamos ensinar aos nossos filhos. Este número não é apenas para se contar. Antes, é paz o dia em que ele nasceu e paz o dia em que morreu, e paz o dia em que ele voltou a Damasco outra vez para espalhar a paz no mundo. Este é o número que ensinamos aos nossos filhos.

Mas nós os ensinávamos a paz enquanto escreviam os números dessas datas? Se o Ocidente tivesse aprendido a paz, eles não teriam nos enviado armas de assassinato e destruição.

Sua Eminência viu com seus próprios olhos, ele viu a morada de nosso mestre Zacarias na Mesquita dos Omíadas. Ele viu o que fizeram com aquela Mesquita, onde não houve um dia que se tenha passado, antes ou depois do Islão, em que o nome de Deus não fora mencionado (glória a Ele).

Você sabe, Sua Eminência, que as Mesquitas de Omíadas em Damasco e Alepo foram ambas Igrejas. Então, quando os Muçulmanos chegaram aqui, os Cristãos não as venderam para eles, mas pediram ao Califa que construísse quatro Igrejas, para que todos pudessem orar ao único Deus.

Estas são nossas Mesquitas e nossas Igrejas. Elas nunca foram de uma certa religião ou seita, mas foram a casa de Deus para todos os seres humanos.

Assim, quando os Muçulmanos escrevem hoje a data de 1438, ela também não é apenas um número. Eles precisam saber que esse número tem um significado, que nosso profeta Maomé (que a paz esteja com ele), e com Cristo, e Moisés e Abraão, no dia da Hégira Islâmica, ele escreveu uma data que libertava os humanos da adoração dos ídolos, para adorar Aquele que julga a todos nós.

Naquele dia específico, ele pretendia construir uma nação para unificar todos por meio do um Deus, para que os ídolos fossem destruídos. Então, repitamos aos nossos filhos que esses números são uma mensagem do profeta da paz e do profeta da misericórdia.

Assim sendo, qualquer que já tenha carregado uma arma na Síria para matar nossos filhos e destruir nossas Mesquitas e nossas Igrejas, se tivessem aprendido que estão muito longe do profeta da paz - Jesus - e do profeta de misericórdia - Maomé - e que eles são seis inimigos e de toda a humanidade, se tivéssemos ensinado desde a infância que se alguém destruísse todas as Mesquitas do universo e todas as Igrejas do mundo, teria sido melhor diante de Deus, que ele tivesse assassinado uma pessoa, porque foi dito, Sua Eminência, no livro de Zabour, em um dos salmos de Davi, que o homem foi construído por Deus, e maldito é aquele que se levanta contra os edifícios de Deus.

Maldito é aquele que se levanta contra os edifícios de Deus! Veja a diferença! Eles estão matando as pessoas, mas Cristo vai até os mortos, coloca sua mão sobre eles e os traz de volta à vida. Veja a diferença!

Maomé vê alguém que matou outro e pergunta: "O que você fez?" Ele exclamou: "Não há Deus senão Alá!" Ele exclamou isso por medo. Ele perguntou: "Você machucou o seu coração?" Por que vocês fazem Deuses de si próprios, matando humanos em nome de Deus? Ao passo que Deus criou o universo com seu amor.

Assim, hoje, quando começamos nosso novo ano, e do coração de nossa alma, Maryam [Maria], que foi a mãe imaculada, a pura, a brilhante, que carregou [no ventre] Cristo (que a paz esteja com ele) com um suspiro do espírito santo, para que ele pudesse ser a palavra e a alma de Deus... Não devíamos todos aprender a ser a palavra de Deus na terra, liberando o amor, paz e pureza sobre ela?

Esta é a Síria, que envia uma mensagem ao mundo inteiro hoje. Nós recebemos um comboio Nazareno (Cristão) na Mesquita de nosso profeta há 1400 anos. De forma que eles se sentaram na sexta, sábado e domingo dentro da Mesquita pela a hospitalidade do profeta.

Assim, no dia do Domingo, eles vestiram suas roupas e saíram da Mesquita. Então o profeta disse: "Por que vocês vão embora?" Eles responderam: "É Domingo, nós precisamos orar". Então ele disse:

"Por que vocês não rezam dentro da Mesquita? Pois o Deus que rezamos é um. Voltem para dentro da Mesquita e rezem"

Foi o que também fizemos quando a França colonizou este país. Quando eles decidiram fechar todas as Mesquitas às sextas-feiras, o Patriarca da Igreja Ortodoxa Grega naquele dia tomou sua própria decisão:

"Abram todas as Igrejas para que nossos irmãos Muçulmanos possam fazer suas orações de sexta-feira dentro delas!"

Se nossos filhos não têm memória disso, leiamos para eles a história. As Igrejas de Alepo e Antioquia se abriram. Antioquia já esteve lá, e voltará um dia com esse nome, se Deus quiser, na terra do Levante, porque Antioquia é uma das terras abençoadas de Deus. A sede de Antioquia permanecerá juntamente com a sede de Constantinopla, a sede de Alexandria, a sede de Damasco e a sede de Atenas - todas elas uma só sede, sempre pregando o verso da paz e do amor à humanidade.

Esta é a Síria que vocês testemunham hoje. Estamos juntos, e nossos profetas no passado também estavam juntos, na mesma mensagem. Nós nunca discriminamos entre nenhum dos profetas de Deus.

Esta é a Síria, cuja mídia esteva em Igrejas, Mesquitas, hospitais, escolas e fábricas, e seu líder (que Deus o abençoe), o Presidente Bashar Al-Assad - que estava no orfanato de um mosteiro na semana passada alimentando os órfãos com suas próprias mãos, entretendo-as com conversas, sorrindo para elas através do diálogo - essa é a Síria, que eles demonizaram em sua mídia. Contudo, Deus quis que fosse uma luz, através de Sua graça e glória.

Esta é a Síria, dizendo à Palestina que todos os nossos mártires que foram martirizados nos últimos seis anos na terra de nosso próprio país - Nós os preparamos para você, ó Palestina, mas eles nos puniram, porque não nos rendemos a eles, porque nos recusamos a vender Jerusalém, Belém, Nazaré e a Igreja da Ressurreição.

Recusamo-nos a vendê-la, e nos recusaremos a entregá-la àqueles que já mataram os profetas e fizeram do seu caminho um caminho de animosidade para com Deus e de derrota dos seres humanos. Quanto a nós, nosso caminho é um caminho de amor a Deus e dignidade dos seres humanos. Esta é a Síria.

Se nossos irmãos aqui da Austrália estão chocados por estarmos aqui em uma Igreja, saiba que há milhares de anos atrás Omar Bin-Al-Khattab entrou na Igreja de Belém e ele ficou lá a contemplá-la.

Há mais de 40 anos, antes que os Sionistas invadissem Belém, eu mesmo fui lá. Entrei no Mahdi e entrei na caverna, vi a palma e orei onde nosso profeta uma vez orou. Onde o Arcanjo Gabriel, o espírito santo, lhe disse: "Vá e ore".

E ele disse: "Você sabe onde eu orei?"

Ele respondeu: "Não".

Ele disse: "Foi aqui que seu irmão Issa (Jesus) nasceu".

"Seu irmão Issa (Jesus)." Veja, nós não nos separamos entre os profetas de Deus.

É por isso que viemos, Sua Eminência, para começar um novo ano com vocês e dizer ao mundo que, mesmo que nossa história seja baseada na Hégira, é um dom de misericórdia, e se nossa história é baseada no Natal, ela é paz, segurança e uma mensagem de amor e fraternidade. É disso que se trata nossa história aqui.

Mas sobre o que é a sua história? Sobre a Primeira e Segunda Guerras Mundiais? Bem, nossa história é paz, amor e generosidade. Esta é a Síria hoje, em seu ano novíssimo, começando com um cessar-fogo.

Assim como Sua Eminência orou alguns momentos atrás, Deus guia nossos filhos no retorno à segurança e para que invistam essa paz em dizer aos que invadiram a Síria a voltarem para suas terras, porque o solo da Síria é puro e sua água está curando, e seu céu é uma luz brilhante e seu povo é feito de amor e fraternidade.

Então, se vocês quiserem mudar a Síria, não poderão, porque Deus a escolheu para todos os profetas e para todos os que são bons.

Caro Presidente (Bashar Al-Assad), neste momento enquanto você lidera o caminho da paz, bem como lidera o caminho da resiliência, oramos de dentro de nossas Mesquitas e Igrejas que Deus use sua mão para criar uma paz incrível nesta nação, e para cessar o fogo da guerra, e fazer da paz o caminho para nossa nova geração.

Entretanto, quanto aos nossos mártires - alguns de vocês me disseram que têm mártires de suas próprias [famílias] - eu vos trago boas novas. Um mártir não fica no chão. Mártires vão para o céu. Eles olham para nós e pedem a Deus nossa felicidade e pureza.

Nosso mártir está na terra dos profetas, sendo cumprimentado pelos anjos do céu, como eles cumprimentaram os profetas martirizados do passado.

Saudações a todos vocês, queridos, na casa da Virgem Maria, a incrível e pura mulher cujo livro eu sempre leio no Alcorão. E meu coração dispara, pois ela carrega a mais bela anunciação para todo o universo. Que a paz de Deus esteja com vocês.

Obrigado a todos, e em nome do Ministério de Awqaf e de todos os seus acadêmicos, todos nós gostaríamos de dizer que estamos todos no mesmo caminho da fé.

Deus abençoe a todos e oramos para que nossos irmãos mais queridos retornem - o Arcebispo Paulo e o Arcebispo João - e que estejam conosco no próximo mês, vivos, se Deus quiser, para que possamos celebrá-los e vê-los juntos nas Igrejas e Mesquitas.

Obrigado, e que este dia e todos os dias sejam abençoados no Levante, e que a paz de Deus e sua misericórdia e bênçãos estejam sobre vocês.

MORE:Notícias
  • Shqip
  • العربية
  • English
  • Français
  • Deutsch
  • Bahasa Indonesia
  • Português
  • Русский
  • Español