'Eu Sou um Cristão': o Arremessador dos Giants se Recusa a se Ajoelhar em Solidariedade com o Movimento Vida dos Negros Importa

Antes do início da temporada da Liga Principal de Beisebol, jogadores de vários times se ajoelharam para expressar sua solidariedade com a campanha do Vida dos Negros Importa. Todavia, felizmente, nem todos concordaram com o gesto.

MORE:Notícias
Originally appeared at: Sputnik

O arremessador dos Giants de São Francisco, Sam Coonrod, não se ajoelhou em apoio ao movimento Vida dos Negros Importa antes do jogo contra os Dodgers de Los Angeles na quinta-feira passada, como revelaram fotos e vídeos do momento. Quando abordado por repórteres após o jogo para comentar por que ele permaneceu de pé - o único jogador dos dois times a fazê-lo - Coonrod disse que foram seus sentimentos religiosos e algumas divergências com o movimento que o impediram de dobrar os joelhos.

“Eu sou Cristão”, explicou o arremessador, citado pelo TMZ. “Então, eu simplesmente acredito que não posso me ajoelhar diante de nada além de Deus”.

 © REUTERS / Robert Hanashiro

Sam Coonrod dos Giants de São Francisco se recusa a se ajoelhar pelo Movimento Marxista do Vida dos Negros Importa:

... 'Eu sou um Cristão, então eu simplesmente acredito que não posso me ajoelhar diante de nada além de Deus" '#HomensPiedosos #HomemDeVerdade pic.twitter.com/ha7DmEfbKj

— Amy Mek (@AmyMek) July 24, 2020

“Simplesmente não consigo concordar com algumas coisas que li sobre o Vida dos Negros Importa, como eles se inclinam para o Marxismo”, ele acrescentou. “E... eles disseram algumas coisas negativas sobre a família nuclear. Eu simplesmente não posso concordar com isso”.

Na quinta-feira, poucos dias antes do início oficial da temporada da Liga Principal de Beisebol, jogadores dos Nationals de Washington e dos Yankees de New York, e mais tarde dos Giants de São Francisco e dos Dodgers de Los Angeles, receberam uma longa fita preta para se ajoelharem em solidariedade aos protestos do Vida dos Negros Importa antes do Hino Nacional.

Seguindo um precedente estabelecido pelo quarterback do futebol Americano Colin Kaepernick, que se ajoelhou durante o hino nacional dos EUA em 2016, o ato agora é comumente equiparado a protestos contra casos de brutalidade policial e racismo sistêmico.

Em 2016, o gesto de Kaepernick polarizou a opinião pública. O presidente Donald Trump disse após sua posse em 2017 que Kaepernick e os jogadores que se juntaram a ele no protesto deveriam ser demitidos de suas equipes devido ao seu aparente desrespeito à bandeira nacional. 

Agora é mais comum ver jogadores, e até dirigentes, ajoelhando-se em apoio ao VNI, mas muitos, incluindo Trump, acreditam que os esportistas devem permanecer de pé durante o hino nacional.

O gerente dos Giants de São Francisco, Gabe Kapler, ajoelhou-se durante o momento da fita preta e depois durante o hino nacional. Contudo, quando questionado sobre a resolução de Coonrod de não seguir sua equipe no gesto, Kapler disse que foi uma decisão pessoal do arremessador.

MORE:Notícias