Deputada Destemida Pendura Cartaz de "Há Dois Gêneros" no Capitólio

MORE:Notícias

A deputada republicana Marjorie Taylor Greene revidou contra a deputada democrata Marie Newman, plantando uma placa dizendo "há dois gêneros" do lado de fora do escritório de Newman depois que uma bandeira dos direitos trans foi hasteada fora do seu.

Em um discurso na Câmara na quarta-feira, Greene (R-Georgia) se opôs veementemente à Lei da Igualdade, um projeto de lei que modificaria a Lei dos Direitos Civis para tornar as classes protegidas por “sexo, orientação sexual [e] identidade de gênero”. Os oponentes dizem que essa designação levaria as mulheres transgênero a competir com mulheres biológicas no esporte, presidiários sendo alojados com mulheres na prisão e empresas religiosas sendo forçadas a atender clientes LGBTQ contra sua vontade, entre outras preocupações.

The so-called “Equality” Act will destroy women’s rights, competitive female sports, and religious freedom.

It’s completely unconstitutional.

OPPOSE! pic.twitter.com/tpbxbEb1tF

— Marjorie Taylor Greene 🇺🇸 (@mtgreenee) February 24, 2021

O discurso de Greene claramente incomodou alguns democratas, entre eles a representante de Illinois, Marie Newman, que divide um corredor com Greene no Longworth House Office Building. Em um movimento aplaudido pelos liberais e condenado pelos conservadores como uma "façanha idiota", Newman ergueu uma bandeira do orgulho transgênero fora de seu escritório, "para que ela possa olhar para ela toda vez que abrir a porta."

Sem deixar uma pequena façanha sem resposta, Greene revidou mais tarde na noite de quarta-feira, pendurando uma placa que dizia “Há DOIS gêneros: masculino e feminino” fora de seu próprio escritório. “Confie na ciência”, dizia a linha de fundo da placa, imitando o popular mantra liberal.

Our neighbor, @RepMarieNewman, wants to pass the so-called "Equality" Act to destroy women’s rights and religious freedoms.

Thought we’d put up ours so she can look at it every time she opens her door 😉🇺🇸 https://t.co/7joKpTh6Dc pic.twitter.com/aBGRSiIF6X

— Rep. Marjorie Taylor Greene (@RepMTG) February 24, 2021

As reações seguiram as linhas partidárias. A façanha inicial de Newman irritou os conservadores, que indicaram a Democrata de Illinois por sua "encenação".

Which flag was removed so that it could be replaced by the transgender flag for the sake of this moronic stunt?

— Matt Walsh (@MattWalshBlog) February 24, 2021

The Republic of Transgender is an imaginary country. Take that flag down @RepMarieNewman, you look stupid! LARP somewhere else.

— Propaganda Sniper (@HindlesKitchen) February 24, 2021

Quando Greene respondeu, a situação virou, e os liberais se enfureceram com ela por "perder tempo com ódio".

Being cruel to other humans simply for the sake of cruelty (actually for the sake of Twitter likes and RTs) isn't just shameful, it's pathetic. You're pathetic.

— Allison Winn Scotch (@aswinn) February 25, 2021

Any doubt Marjorie Taylor Greene would post a "Whites Only Sign" outside her office door if allowed.

— (((DeanObeidallah))) (@DeanObeidallah) February 25, 2021

Apoiadora dedicada do ex-presidente Donald Trump, a vitória eleitoral de Greene em novembro atraiu atenção significativa da mídia, devido ao seu endosso a várias teorias de conspiração de direita. Entre eles estava a teoria 'QAnon', cujos proponentes acreditavam que Trump estava travando uma guerra secreta contra os satanistas no Partido Democrata e agências de inteligência.

Essas crenças marginais fizeram de Greene um saco de pancadas para os democratas, que acusaram o Partido Republicano de se tornar o “partido do MTG”, e para os republicanos moderados ansiosos para retornar ao status quo pré-Trump. Onze desses republicanos se juntaram a seus colegas democratas em uma votação para retirar Greene de suas atribuições no comitê no início deste mês, mesmo depois que Greene renunciou a suas crenças marginais como "palavras do passado"

Apesar de seus protestos, a Câmara deve votar a Lei de Igualdade ainda na quinta-feira. O líder da maioria na Câmara, Steny Hoyer, disse a repórteres na quarta-feira que espera que todos os membros de seu partido apoiem a legislação, junto com um punhado de republicanos. Embora o projeto provavelmente seja aprovado graças à pequena maioria dos democratas na Câmara, ele enfrenta um caminho mais difícil no Senado, onde precisa de uma votação de dois terços para chegar à mesa do presidente Joe Biden. Com o controle da câmara alta dividido em 50-50 entre democratas e republicanos, uma aprovação tranquila é altamente improvável.

MORE:Notícias
  • Shqip
  • العربية
  • English
  • Français
  • Deutsch
  • Bahasa Indonesia
  • Italiano
  • Português
  • Русский
  • Español