Summer Fund Drive
Meta: $7,000
Given so far: $928
13%
31 Apoiadores
15 Dias Restantes

ASSISTA: Família de Dez Muda-se da América para a Rússia – Matéria de Telejornal

Tendo já visitado Moscou e São Petersburgo, esta família de dez ficou fascinada pela antiga Rostov, de forma que há dois anos eles decidiram assentar-se lá. Eles estão construindo uma casa na zona rural.

TRANSCRIÇÃO:

Arseny Kondratiev:

Boa tarde. Esta transmissão do canal “RÚSSIA” continua com o programa “Vesti-Yaroslavl”. Aqui é Arseny Kondratiev no estúdio, com um resumo das principais notícias da hora.

Voando no trânsito e colidindo de frente com uma família, um motorista bêbado de caminhão em um carro estrangeiro causou um sério acidente na estrada M8. As crianças ficaram feridas no acidente.

Por que um sacerdote Americano e sua família deixaram o Texas e assentaram-se em Rostov? Como uma família Ortodoxa vive em um país estranho? Providenciaremos os detalhes.

Em Yaroslavl, as decorações do Ano Novo estão sendo colocadas na Rua Sovietskaya, e a árvore de natal está sendo levantada em seu lugar convencional na Praça Octoberskaya, mas ainda há uma questão sobre os fogos festivos. Direi o porquê.

______________________________________________________________

Visitar a Rússia e ficar permanentemente, Joseph Gleason – um sacerdote Norte Americano – veio para a região de Yaroslavl há dois anos, deixando para trás uma vida confortável e sua família no Texas. Marina McKenna nos contará o motivo.

Marina McKenna:

Tocar música é uma necessidade para os filhos educados domiciliarmente de Joseph Gleason: piano, mandolina e a flauta. Joseph é filho de um famoso músico na América, um lugar que agora, obviamente, está muito longe de todos.

Aqui na Rússia eles adquiriram um piano da “Pátria” e trouxeram consigo este violão do Texas, sua terra natal. Ele já foi bem dominado pela Kimberly, sua segunda filha mais velha.

Kimberly entende Russo melhor do que seus pais e irmãos (ela tem sete irmãos): Katie, Andrea, Julie, Jeremy, Andrew, Kelsey e o pequeno Kenneth. Juntos com seu pai Joseph e sua mãe Amy, eles vieram para Rostov em Janeiro de 2017.

Kimberly Gleason:

Sim, eu me lembro de estar muito cansada! Era inverno, portanto estava muito escuro quando nós chegamos aqui.

Marina McKenna:

Há dezoito anos atrás, em Inglês, a jovem Amy disse, “Sim”, para seu amado. Naquele tempo ela não poderia imaginar que algum dia viria a ser uma – como dizem os Russos -  “Matushka”.

Um jovem engenheiro da computação intentava o mesmo, ter filhos e uma forte família.

Ela tornou-se sua devota esposa e apoiou-o em seu desejo de estudar em um seminário e de tornar-se um diácono Anglicano.

Apenas alguns anos mais tarde, eles tornaram-se Cristãos Ortodoxos e, eventualmente, mudaram-se para a Rússia.

Amy Gleason:

Minha primeira reação foi um choque, mas depois eu concordei. Enquanto uma família Ortodoxa, é melhor viver onde a Ortodoxia é a principal religião.

Marina McKenna:

Tendo já visitado Moscou e São Petersburgo, os Gleason ficaram fascinados pela antiga Rostov e decidiram assentar-se aqui. A igreja local providenciou uma moradia temporária, mas o Pe. Gleason está construindo uma casa para toda a família, fora da cidade, e parece que ela durará por séculos.

Na Catedral da Dormição, no Kremlin de Rostov, este sacerdote Texano é bem conhecido, e eles apoiam totalmente seu desejo de tornar-se Russo.

Fr. Roman Krupnov:

Em dois anos ele já acostumaram-se com a vida aqui, embora a assimilação leve um tempo. Eles já tornaram-se mais como nós. Onde você vive e com quem você passa seu tempo gradualmente forma seu caráter.

Marina McKenna:

Visitando lugares sagrados, participando das ceremonias da Igreja e dos sacramentos, o Pe. Joseph serve como um peregrino em várias igrejas em múltiplas cidades, enquanto ele aprende a língua e trabalha em prol da cidadania Russa.

Ele está feliz em responder a pergunta mais improtante, porque ele encontrou a resposta para ela enquanto ainda vivia em um país em que a maioria das pessoas não ainda ouviram falar acerca do Cristianismo Ortodoxo.

Fr. Joseph Gleason:

À medida em que estudava mais da Bíblia e da história da Igreja, percebi que o Protestantismo tem apenas 500 anos, e eu não queria fazer parte de uma religião tão nova.

Eu queria estar na Igreja que foi fundada por Cristo e os apóstolos. Então eu percebi que se quiséssemos estar com Cristo, teríamos que estar na Igreja Ortodoxa.

Marina McKenna:
Sou Marina McKenna. Certo, de volta com vocês em Yaroslavl.