Hierarca Jerusalemita: "Vista um Quíton de Humildade e Aceite o Apelo do Patriarca!"

Se as Igrejas estão interessadas em unidade, elas devem "abrir mão de seus interesses e privilégios de origem" e aceitar a oferta de Jerusalém sobre uma Sináxis dos Primazes

Se as Igrejas estão interessadas em unidade, elas devem "abrir mão de seus interesses e privilégios de origem" e aceitar a oferta de Jerusalém sobre uma Sináxis dos Primazes.

É muito importante neste momento encontrar uma saída para o impasse que a Igreja Ortodoxa enfrenta por causa da "questão Ucraniana", de acordo com o hierarca da Igreja Ortodoxa de Jerusalém, o exarca do Santíssimo Sepulcro no Chipre, Metropolita Timóteo (Margaritis) de Vostra. O apelo do hierarca foi publicado no dia 27 de novembro pela fonte Ortodoxa Grega Romfea.

O hierarca relembrou que, historicamente, a Igreja de Jerusalém foi uma vez um recinto para os Primazes das Igrejas, em que decisões históricas foram tomadas em defesa da fé.

"Não será a primeira vez que Alexandria, Antioquia e Jerusalém se encontrarão na Cidade Santa de Jerusalém por causa de assuntos de grande importância para a Igreja! Após o Concílio de Ferrara-Florença (nos anos de 1443-1445, no qual a Igreja de Constantinopla reconheceu a primazia de Roma e aceitou os dogmas da Igreja Católica - N.T), os três patriarcas se encontraram em Jerusalém e condenaram a subscrição da união", recordou Sua Eminência Timóteo.

O hierarca trouxe à lembrança o fato que Jerusalém foi o centro ao qual os apóstolos retornavam após a evangelização das nações para discutir os problemas que haviam surgido. Conforme disse, na mente dos Cristãos, a Santa Cidade permanece a "Cidade do Rei Cristo", enquanto Jerusalém é reverenciada como a "Mãe de todas as Igrejas".

"Diante do impasse que surgiu na Ortodoxia devido à questão Ucraniana, as Igrejas-filhas que agora experimentam um pesaroso cisma, se elas estiverem realmente interessadas na unidade da IGREJA [...] elas devem abrir mão de seus interesses e privilégios de origem e vestir um quíton [uma veste para uso cotidiano da antiga civilização Grego-Romana - N.T.] de humildade e reconciliação, acatar o apelo de Sua Beatitude, o Patriarca de Jerusalém, e após longas orações se reunirem no Espírito Santo para encontrar uma solução para o problema que divide a Igreja de Cristo, a fim de que a unidade da Ortodoxia possa ser restaurada", disse o Metropolita Timóteo de Vostra.

No dia 21 de novembro de 2019, o Primaz da Igreja Ortodoxa de Jerusalém, o Patriarca Teófilo III, anunciou sua convocação dos Primazes das Igrejas Ortodoxas Locais para discutirem a questão da Igreja Ortodoxa da Ucrânia (IOdU - cismática), na Jordânia. A proposta do Patriarca foi apoiada pelas Igrejas Russa e Albanesa, ao passo que o chefe da Igreja da Grécia, o Arcebispo Jerônimo, que foi o primeiro após o Patriarca Bartolomeu a reconhecer a IOdU, se recusou a participar de uma discussão Pan-Ortodoxa, anunciando sua possível resignação.