Summer Fund Drive
Meta: $7,000
Given so far: $928
13%
31 Apoiadores
13 Dias Restantes

Padre Ortodoxo Norte Americano, Esposa e 8 Filhos mudam-se para a Rússia (Rostov) - Entrevista

“Eu não queria viver em um país sem futuro. Quando a Suprema Corte legalizou o chamado ‘casamento-gay’, nós ficamos muito frustrados. Toda sociedade está construída sobre o fundamento da família. Quando a família é forte, a sociedade e o estado também são. A história tem confirmado isto por várias vezes.

... quando o governo peca, Deus pune toda a nação. Eu não sei se isto irá levar 10 anos, ou 50, mas se a América não se arrepender, então a nação cairá”.

Isto é uma tradução, exclusivamente para a Fé Russa, de uma entrevista que apareceu em Today, um site de notícias Russo, com o Padre Joseph Gleason, um padre Ortodoxo que se mudou para a Rússia provincial com sua esposa e 8 filhos, primariamente para que pudesse criar sua família em um país Cristão Ortodoxo.

Eles se instalaram em Rostov, 3 horas ao norte de Moscou, não muito longe de Yaroslavl (não confundir com Rostov do Don, no sul da Rússia). A entrevista foi conduzida por Artemy Schmidt, uma socióloga da universidade de Yaroslavl, que também escreveu a introdução.

Este artigo foi também publicado em Russia Insider, onde está produzindo uma vívida discussão na seção de comentários.


A família Gleason em frente do famoso Kremlin de Rostov

O mundo moderno está presenciando uma crescente atividade migratória devido a guerras, conflitos, desastres naturais, globalizações, e muitos outros fatores. Tradicionalmente, o fluxo de migração primeiramente se dirige a países prósperos com sistemas legais acolhedores. Quando convidam trabalhadores estrangeiros, estudantes e refugiados, estes países inevitavelmente encaram desafios de assimilação cultural e confessional. Estes problemas são especialmente agudos na UE e nos EUA, onde refugiados do Oriente Médio fracassam em se assimilarem, arruinando o ideal Ocidental de um “caldeirão” cultural.

Enquanto isto, a Rússia, que tradicionalmente atrai imigrantes de todos os lugares do mundo, oferece sua própria abordagem de integração cultural. Isto é uma das principais vantagens em se mudar para este grande país.

Considerem o caminho único tomado pelo Pe. Joseph Gleason desde os EUA. Anteriormente um pastor Protestante, Joseph e sua família converteram-se ao Ortodoxismo há vários anos. Eventualmente, ele se tornou um sacerdote na Igreja Ortodoxa. Em  2017, Pe. Joseph mudou-se para a Rússia com sua esposa Amy e seus 8 filhos e instalaram-se em Rostov. Ele está construíndo uma casa em uma comunidade próxima e espera passar sua vida como um padre de vilarejo.

Muitos agradecimentos ao Pe. Joseph que gentilmente concordou em responder minhas perguntas.

- Padre Joseph, por favor, conte-me sua história. O que te trouxe à Rússia?

Eu diria que o primeiro passo foi a religião em si mesma. Eu era antigamente um pastor Protestante e tive uma pequena igreja em Omaha, Illinois. Então todos nós nos tornamos Cristãos Ortodoxos.

Nós não queríamos ser hipócritas, visitando a igreja no Domingo e então assistindo “Game of Thrones” em casa depois. Isto não faria sentido algum. Quando a Fé é a coisa mais importante em sua vida, você deseja devotar toda sua vida a ela.

Nós não queríamos nossas crianças estudando em escolas públicas, então nós optamos por ensino domiciliar. Os EUA é um bom país de diversas maneiras, com muitas boas pessoas. Mas por várias razões, eu e minha família já não nos sentíamos bem em viver lá. Eu buscava por um país diferente em que nós pudéssemos viver, e eu comecei a pesquisar países com uma forte tradição Ortodoxa: Sérvia, Georgia, Grécia e, é claro, a Rússia.

- Por que você estava desapontado com a vida nos EUA?

Na América, muitas coisas eram boas. Nós tínhamos cerca de 24.000m² de terra, um trator, meus filhos ordenhavam as cabras, e nossa igreja não era tão longe de casa. Eu também trabalhava então como um engenheiro de computação. Todas estas coisas eram ótimas.

Mas eu não queria viver em um país sem futuro. Quando a Suprema Corte legalizou o chamado “casamento-gay”, nós ficamos muito frustrados. Toda sociedade está construída sobre o fundamento da família. Quando a família é forte, a sociedade e o estado também são. A história tem confirmado isto por várias vezes. Mas sem famílias fortes, a sociedade desmorona. O estilo de vida homossexual é um pecado, e ele destrói famílias.

Na Rússia é possível encontrar pessoas que praticam o estilo de vida homossexual, mas ele não é promovido pelo Governo. E como São Paísios diz: quando um indivíduo peca, Deus pune tal indivíduo, mas quando o governo peca, Deus pune toda a nação. Eu não sei se isto irá levar 10 anos, ou 50, mas se a América não se arrepender, então a nação cairá.

A segunda razão estava relacionada com política estrangeira. Eles colocam centenas de bases militares ao redor do mundo, e têm apoiado inúmeras guerras injustas. E quando eles trazem guerra para terras Ortodoxas, parece que estão sempre atacando os Cristãos, ao invés de protegê-los.

Não importa o quão ruim possa ter sido o líder do Iraque, ao menos ele protegeu os Cristãos que viviam lá. Mas depois que a guerra foi forçada sobre o Iraque, as populações Cristãs foram exiladas sem misericórdia ou massacradas. Havia lá cerca de um milhão de Cristãos antes da guerra, hoje se tem praticamente zero.

Em Dezembro, 1998, forças armadas ocidentais pararam de bombardear o Iraque durante o Ramadã, em respeito aos Muçulmanos. Ainda em 1999 eles não tinham nenhum escrúpulo em bombardear a Sérvia na Páscoa, o dia mais santo no ano para Cristãos Ortodoxos.

Considere a recente guerra na Síria. A fé Cristã Ortodoxa tem sido nativa para a Síria por 2000 anos, indo todo o caminho de volta até o primeiro século. Em tempos antigos, Antioquia era uma cidade Síria e, de acordo com os escritos do Novo Testamento, Antioquia é o primeiro lugar onde a palavra “Cristão” foi usada. Aquelas antigas comunidades Cristãs Ortodoxas estiveram por lá por 2000 anos e ainda existem na Síria hoje. E o atual líder da Síria os protege.

Enquanto isto, na guerra recente, as forças de oposição estiveram sistematicamente torturando, estuprando e massacrando Cristãos sem misericórdia. E quando o Ocidente entrou na briga, eles apoiaram a oposição. De novo e de novo, países Ocidentais continuam a apoiar aqueles que matam os Cristãos Ortodoxos. Isto não é aceitável.

Porquê sou um Cristão, creio que seres sobrenaturais estão entre nós, e que eles influenciam o curso da história. Estou convicto de que a política internacional não é meramente um confronto entre seres humanos – é também uma batalha entre anjos e demônios. Se você está do lado de Deus, então deve proteger os Cristãos, não tentar destruí-los.

A Rússia abertamente promove a fé Cristã Ortodoxa. Em vários conflitos militares a Rússia tem lutado pelo lado que protege os Cristãos Ortodoxos. Logo, se houver uma outra grande guerra, eu não quero que meus filhos estejam no exército que lutará contra a Rússia. Antes, prefiro que estejam no exército Russo, de forma que possam ajudar a proteger os Cristãos.

- Por que você escolheu a Rússia?

A razão mais importante é a religião. A Igreja Ortodoxa tem estado na Rússia por mais de 1000 anos. Hoje, milhões de Cristãos Ortodoxos devotos vivem e criam suas famílias na Rússia.

Sempre que bombeiros combatem um grande incêndio e precisam de um lugar seguro para se reunirem, eles vão para aquela parte da floresta que já foi consumida pelo fogo. Por 70 anos, as chamas do Comunismo ateu queimaram através da Rússia, trazendo opressão e martírio para milhões de Cristãos fiéis. Mas este fogo já se apagou e a Rússia aprendeu sua lição.

Nos últimos 25 anos na Rússia, mais de 25.000 igrejas foram ou construídas ou reconstruídas. Isto dá uma média de mais de três igrejas construídas por dia. Enquanto o resto do mundo está voltando suas costas para os princípios Cristãos, queimando-se espiritualmente até crepitar, a Igreja tem encontrado um refúgio dentro das fronteiras da Rússia.

Nós poderíamos ter nos mudado para o Canadá, México, ou para vários países Sul-americanos, mas os homossexuais são permitidos casarem-se uns com os outros lá. E se você não apoia os sodomitas, então você corre o risco de perder seu emprego, ou até mesmo perder a guarda de seus filhos. Os países da Europa Ocidental também caíram nas garras do movimento homossexual.

Eu amo as igrejas na Grécia. Mas o ensino domiciliar é proibído lá, e eles também sucumbiram à propaganda sodomita. Felizmente, algumas nações Africanas têm rejeitado a loucura homossexual. Mas muitos destes países se encontram em um caos, com Muçulmanos matando Cristãos, negros matando brancos, e níveis insalubres de instabilidade civil.

É também importante considerar a segurança nacional. A maioria dos países possuem forças armadas relativamente fracas e não poderiam resistir a um ataque de uma grande potência mundial. Por exemplo, o que aconteceria se eu houvesse me estabelecido no Chile, Paraguai, Sérvia ou na Grécia? Hipoteticamente, se qualquer um desses países fossem atacados pelos EUA, ou por uma coalizão de forças das Nações Unidas, eles provavelmente não poderiam se defender.

A Rússia é a melhor opção: o Cristianismo Ortodoxo é respeitado, educação domiciliar é permitida e a propaganda sodomita é proibida. O exército  Russo é muito forte também. Ao invés de implantarem bases militares ao redor do mundo, eles focam em defender as fronteiras nacionais. Se qualquer nação for tola o suficiente para atacar a Rússia, creio que ela perderá. Me sinto mais seguro na Rússia do que em qualquer outro lugar.

- Qual foi a reação de sua família diante de sua decisão?

Muito positiva. Nós falamos muito durante todo o processo, eu expliquei meus pensamentos durante o caminho. Eles entenderam os perigos de se permanecer em um país onde a família tradicional está sob ataque. Eles também estavam animados em ver as antigas igrejas Ortodoxas na Rússia e de se encontrar com outros Cristãos Ortodoxos vivendo lá.

Enquanto uma família, nós todos começamos a estudar o idioma Russo, antes mesmo de atravessar o oceano. Uma vez que chegamos aqui em 2017, eu e minha família temos crescidos em amor pela Rússia, mais e mais. É um bom lugar para se viver.

Quando uma nave espacial viaja da terra para a lua, o primeiro passo é escapar da gravidade da terra. Mas quando ela alcança certo ponto, a gravidade da lua assume e puxa a espaçonave para si. Nossa jornada para a Rússia funcionou de modo semelhante. Inicialmente, nós estávamos apenas tentando escapar dos problemas do nosso antigo país. Mas quanto mais aprendíamos sobre a Rússia, mais ela nos atraía.

Não obstante o quão bom ou mal outros países possam ser, a Rússia em si mesma é um bom lugar para se viver.

- Vocês tinham algum medo antes de se mudar?

Aproximadamente uma década atrás eu me tornei um Cristão Ortodoxo, mas ainda possuía a mentalidade de um Americano comum. Eu não pensava sobre a Rússia de uma forma positiva. Me lembrava de Gorbachev, Yeltsin e do Muro de Berlim. Eu era ingênuo e acreditava nas mídias convencionais.

Mas felizmente, com o tempo, a fé Cristã Ortodoxa me ajudou a ter um melhor entendimento da Rússia.

Surpreendentemente, eu encontrei Americanos que ainda pensam que a Rússia é um país comunista. Eles se espantam em saber que há tantas igrejas aqui. Ajuda a abrir os olhos dos leitores Americanos quando eu publico fotos de lindas vilas Russas e igrejas em meu blog.

Muitos Americanos pensam que os Russos não sorriem, por isso muitos se impressionam ao ver uma simples foto de uma pessoa Russa sorrindo.

Antes de me mudar para cá, muitos Americanos me disseram que a Rússia era um lugar perigoso. Eles se preocupavam que eu seria ser roubado e que meus filhos seriam sequestrados. Todavia a realidade é que a vida aqui é bem segura para as famílias.

Aqui em Rostov, eu deixei que meus filhos fossem de casa para a igreja e de volta muitas vezes. Isto não é algo que eu os permitiria fazer em Chicago. As pessoas aqui em Rostov são muito gentis, a vida é pacífica e calma.

Eu julgo que a propaganda política é a maior razão pela qual a maioria dos Americanos compreendem mal a Rússia. Eles não sabem nada a respeito da Rússia, exceto aquilo que eles viram nos filmes e nos noticiários, de forma que eles simplesmente não têm uma imagem acurada.

Mas quando uma pessoa finalmente viaja para a Rússia, a realidade se torna muito mais clara. Pessoas vêm até aqui para visitar uma vez e então elas querem voltar de novo e de novo, querendo trazer seus parentes e amigos.

- De onde vêm os falsos estereótipos?

Neste mundo moderno, a maioria das pessoas está preocupada com entretenimento e prazer. A maioria das pessoas não conhece bem a história e não assiste aos jornais de maneira crítica. Pessoas demais acreditam na mídia de massa, enquanto que as emissoras de televisão e os estúdios cinematográficos são realmente bons em produzir propaganda política. O principal fim da propaganda é desumanizar seu inimigo.

Mas se você, ao menos uma vez, visitar a Rússia e vê-la com seus próprios olhos, jamais acreditará nos telejornais novamente.

Felizmente, eu não tenho visto o mesmo tipo de propaganda aqui na Rússia. As notícias não são carregadas com um viés antiamericano e o povo aqui não odeia os Americanos. As pessoas aqui sabem que eu sou da América e eles têm sido muito gentis e acolhedores.

- Por que a Rússia foi escolhida como um principal rival?

Durante a Guerra Fria, a União Soviética foi considerada o inimigo número um. Em 1991 este inimigo perdeu. A Rússia se debateu por um momento logo após, e muitas influências Ocidentais tentaram traçar seu caminho para dentro do país. Mas após vários anos, um líder forte que não estava disposto em deixar a Rússia se tornar serva do Ocidente se levantou.

A Rússia está disposta a trabalhar em conjunto com outros países em pé de igualdade, mas não está disposta a ser um vassalo. Infelizmente, os EUA não parecem dispostos a tratar a Rússia como um igual. Deste modo, tem havido muita retórica anti-russa entre os políticos e a mídia de massa tem sido a maior fonte de propaganda anti-russa.

Na maior parte da história, a palavra “Russo” tem sida detestada pela Europa Ocidental e pelos EUA, independente se alguém estiver falando sobre o governo Russo ou a Ortodoxia Russa. Muitas das razões podem ser traçadas até antigos ressentimentos mantidos por religiões opostas.

Mil anos atrás, Roma ainda fazia parte da Igreja Ortodoxa. Mas então a Igreja Católica Romana se achou em cisma. Desde então, a Europa Ocidental e Oriental estão em desacordo uma com a outra.

Oitocentos anos atrás, São Alexandre Nevsky concordou em pagar tributo aos Mongois, porque eles não tentaram impor sua religião sobre ele. Mas a Suécia tentou forçar os Russos a se tornarem Católicos Romanos, foi então que Nevsky os combateu.

Em alguns aspectos, pouco mudou desde então. O Ocidente ainda tenta controlar o Oriente e o Oriente se recusa ser controlado.

Muito antes, no século IV, o Império Romano havia mudado sua capital de Roma para Constantinopla. Desta forma Constantinopla se tornou conhecida como a “Segunda Roma”.

1000 anos mais tarde, quando Constantinopla caiu diante dos Muçulmanos, a Rússia pegou a tocha, construíndo um Império estreitamente integrado com a fé Cristã Ortodoxa. Assim, Moscou tem sido usualmente chamada de “Terceira Roma”.

Através da idade média, a Igreja Católica Romana permaneceu em oposição à Igreja Ortodoxa. E isto influenciou as relações internacionais em diversas ocasiões. O Ocidente se opôs ao Oriente. A Primeira Roma esteve em guerra contra a Terceira Roma. Este rancor antigo tem estado presente até os dias de hoje.

Assim como duas famílias que têm contendido e brigado por várias gerações, muitas pessoas se esqueceram dos motivos originais do desentendimento. Elas apenas sabem que estão em lados opostos e que estão em guerra umas com as outras. Vários séculos de luta conduziram a uma profundíssima animosidade, tão profunda quanto o próprio DNA. A cultura na América e na Europa Ocidental condiciona o povo a pensar que a Rússia é um inimigo e que é muito difícil superar esses antigos ressentimentos.

Isto pode ajudar a explicar o porquê dos Ocidentais serem tão rápidos em perdoar os pecados passados de nações Ocidentais, mas tão indispostos em perdoar a Rússia. É claro, coisas ruins também foram feitas nesta parte do mundo. Na União Soviética, a Igreja Ortodoxa esteve sob ataque, igrejas foram destruídas e muitos Cristãos martirizados. O assassinato da Família Real foi um crime terrível. O Ocidente é sempre célere em lembrar os pecados do passado da Rússia.

Enquanto isso, Hitler e Napoleão também fizeram algumas coisas terríveis e cometeram muitos crimes. Todavia, o tempo passou e as nações Ocidentais estiveram dispostas a perdoar a Alemanha e a França.

Por que eles não podem também perdoar a Rússia? Talvez porque os conflitos com a França e a Alemanha sejam considerados como “assuntos internos”, ao passo que conflitos com a Rússia são considerados como interações arriscadas com um perigoso poder estrangeiro. Os descendentes da Primeira Roma ainda tentam lutar contra a Terceira Roma.

- Por que alguns críticos acusam a Igreja Ortodoxa Russa como se ela fosse um instrumento do Kremlin?

Nos EUA, muitas pessoas defendem a separação da Igreja e do Estado, na qual o governo opera sem se importar com a religião ou com a moralidade Cristã. Claro, esta abordagem é errada. É senão uma desculpa para que uma nação ignore a Deus. Tais pessoas ficam preocupadas por qualquer cooperação entre a Igreja e o governo. Na medida em que posso dizer, o governo Russo e a Igreja Ortodoxa Russa não tentam controlar um ao outro. Eles apenas trabalham juntos fraternalmente para alcançar objetivos comuns. Mas é claro, isto perturba o Ocidente.

- A Constituição Russa prevê liberdade de escolha religiosa. Religiões são separadas do estado. Por que a Ortodoxia é tão severamente criticada?

Sim, a Rússia tem uma longa história de liberdade religiosa. Por séculos, Cristãos, Budistas e Muçulmanos têm vivido na Rússia sem serem um perigo uns aos outros. Mas hoje no Ocidente, apenas se é dado respeito para religiões não Cristãs. Muçulmanos, Budistas e ateus são louvados enquanto que Cristãos são chamados de fanáticos. O Ocidente odeia a Rússia e também o Cristianismo. A Igreja Ortodoxa Russa é tanto Cristã como Russa, então ela é duplamente odiada pelo Ocidente.

- Quais foram seus primeiros passos para se mudar para a Rússia?

Quando eu primeiramente me interessei em visitar a Rússia, não conhecia ninguém aqui. Depois no Facebook eu me tornei conhecido de um Americano que se mudara para São Petersburgo e vivia lá com sua família por anos. Em 2015 ele me convidou para uma visita. Eu visitei a Rússia por duas mais vezes em 2016. Visitei vários lugares, incluindo Moscou, Pskov, Voronezh, Kostroma, Galich e Unorozh. Em Janeiro de 2017 eu me mudei para Rostov com minha família.

- Você teve algum problema?

Meu amigo de São Petersburgo me disse que o povo Russo é um bom povo. Se você for amigável, eles serão amigáveis. Mas se você for arrogante e triunfalista, então as coisas não irão tão bem. Se você for humilde e grato, então tudo irá bem. Isto é verdade. Ele também disse que haveria muitos problemas com documentação e burocracia – infelizmente isto também é verdade. Além disso, em Rostov tem sido difícil de encontrar um professor da língua Russa.

- Você teve algum problema com relação a sua nacionalidade?

Não. A maioria das pessoas pensa que eu me pareço com um Russo nativo. Quando eu tento falar em Russo as pessoas são amigáveis e tentam entender, mesmo quando eu não falo perfeitamente. Portanto isto não é de fato um problema.

A família de São Petersburgo que me convidou em 2015 também é multinacional: ele era da Califórnia, sua esposa era da Rússia e o pai dela de origem Mongol. A família era muito gentil e amigável. Recentemente, enquanto retornava de uma viagem de Suzdal (minha cidade Russa favorita), nós visitamos um café Armeno. O proprietário, um Armeno, era também muito hospitaleiro e gentil.

Não muito longe de Rostov se encontra a vila de Davidovo, onde meu amigo Pe. Vladimir é o sacerdote da vila. Um de seus paroquianos tem uma esposa Chinesa. Em minhas viagens, eu não tenho tido problemas com pessoas de várias nacionalidades. Eles têm sido todos muito gentis e amigáveis. Eu penso que podemos dizer que o fenômeno do “caldeirão” acontece na Rússia de um modo até que bem sucedido.

- Quais são seus planos para o futuro?

Eu espero ser um sacerdote de uma vila e cultivar minha própria terra. Quero criar meus filhos aqui, ver também meus netos crescerem. A vida aqui não é fácil, mas é boa. Todos em minha família podem apoiar o casamento Cristão tradicional, sem que ninguém perca o emprego por consequência. Se o Senhor permitir, nós poderemos viver nossas vidas em paz enquanto Cristãos Ortodoxos.