Encontrando Sua Cara-Metade

A fim de não cair em estereótipos e perder aquela pessoa única, não se deve deixar-se levar pela beleza externa, traços faciais elegantes e sendo guiado pela coleira da cobiça dos olhos, como nos ensina o Rei Salomão

Originally appeared at: Orthodox Christianity

No dia 8 de julho, a Igreja Ortodoxa Russa honra a memória do santo e ortodoxo Príncipe Pedro e princesa Fevrônia de Murom, que suportaram provações a fim de nos oferecer um exemplo de família Cristã.

A primeira provação que o jovem príncipe teve de suportar foram as exigências do mundo, a fim de cumprir a vontade de Deus casando com a filha de um simples marceneiro. Infelizmente, muitas pessoas hoje em dia buscam por alguém "dentro de parâmetros", esquecendo-se do fato de que realmente precisamos de uma pessoa de alma semelhante. Um correspondente da mídia Pravoslavie.ru pediu ao Pe. Artemy Vladimirov que compartilhasse seus pensamentos sobre o que devemos buscar em nosso companheiro de vida, como não devemos ceder à pressão social na hora de escolher um cônjuge e não perder nossa chance de ter uma pessoa com quem possamos verdadeiramente viver até o fim de nossas vidas.

O sacrifício é a principal expressão de amor”

— Sendo um príncipe, Pedro, naturalmente, buscava uma parceira conforme as exigências de seu ranque. Ele era um homem importante, rodeado pela elite boiarda aristocrática, e compreendia bem que sua escolha afetaria o destino de seu principado. Naquele tempo na sociedade da antiga Rússia, já havia distinção de classe. Tendo adoecido, todo ser corpo foi coberto de erupções da pele, a ponto de perder as esperanças de ser auxiliado. Contudo, a sábia Fevrônia da vila de Laski (esta vila ainda existe, próxima de Ryazan) o curou. O príncipe prometeu casar-se com ela, mas depois esqueceu-se de sua promessa. Novamente ele ficou coberto de erupções cutâneas, e outra vez Fevrônia o curou. Então ele entendeu que aquele era seu destino, rapidamente cumprindo a promessa que havia ignorado.

Santa Fevrônia era extraordinariamente inteligente, e não temos nenhuma base para pensar que ela não fosse bela. Se ela fosse uma moça qualquer, um dignatário não teria tido interesses lascivos por ela enquanto viajavam ao longo do rio, então vestida em vestes reais e com um colar de zibelina. Ela colocou o homem audacioso em seu lugar e o envergonhou de uma forma bem convincente, tendo discernido suas intenções impuras.

Bem, São Pedro logo se deu conta do tesouro que havia encontrado em Fevrônia, que se distinguia por sua calma, sem que houvesse uma grama de rebeldia, histeria ou leviandade nela. Ela nunca causou escândalos para seu marido, não dava ordens a ele ou tentou ser sua chefe. Antes, é possível notar, julgando pelo texto de sua vida, uma dignidade especial, uma grande humildade, que é característica de pessoas dotadas da graça. À sua inteligência natural somou-se a iluminação graciosa, e Deus claramente operou por meio dela, a julgar por sua Vida e influência que exerceu no mundo moral daqueles ao seu redor.

Assim, o jovem príncipe Pedro não estava livre de certos esterótipos característicos de sua classe, mas tampouco era um escravo desses conceitos. A propósito, não podemos chamá-los de incorretos. Até mesmo durante o séc. XIX as pessoas se esforçavam por casar-se dentro de sua classe, a fim de ter mais pontos de contato, para encontrar uma familiaridade não apenas baseada em atração mútua entre gêneros opostos, mas também de um mesmo estilo de vida e de um mesmo entendimento dos objetivos da vida.

Todos se encantaram com a espoa de Pedro, mas não admitiram de imediato. Como é possível observar na Vida dos Santos Pedro & Fevrônia, as esposas dos altos boiardos não eram nem de longe tão inteligentes e sábias em suas palavras. Eram elas que se assenhoreavam de seus maridos, provocando-os a protestarem e rebelarem-se. Portanto, Santa Fevrônia humildemente conduziu seu marido até Murom. Tendo aprendido a confiar no carisma de sua espoa, Pedro podia sentir que Deus a protegia, de que ela não fazia nada sem uma razão, confiando em seu juízo.

Contudo, as coisas aconteceram de tal forma que as divisões de classe, lutas, rebeliões e caos fizeram com que o povo buscasse seu humilde príncipe e esposa. Tendo regressado vitoriosos, eles viveram uma longa e feliz vida, finalmente falecendo no mesmo dia. Talvez, é daqui que surge aquela expressão, "morrer no mesmo dia". Fevrônia era o objeto de adulação geral: todos desejavam vê-la e passar tempo com ela.

A fim de não cair em estereótipos e perder aquela pessoa única, não se deve deixar-se levar, como nos ensina o Rei Salomão, pela beleza externa, traços faciais elegantes, sendo guiado pela coleira da cobiça dos olhos. Bodes, mulas e cabras são distintos por essa arte não tão sábia. A habilidade de se enxergar a própria personalidade, os traços e qualidades da alma é rara entre os jovens, que são mais inclinados a se deixarem levar do que os mais velhos, feitos sábios pela experiência.

Como podemos evitar cair em estereótipos? Orando a Deus: "Senhor, dá me sabedoria; Senhor, ensina-me; Senhor, direciona-me. Mostra-me Tua santa e bendita vontade". Bem, é claro, eles também dizem que não se deve ter pressa em assuntos do coração. Não aceite decisões apressadas. "Ah, fui acertado pela flecha do cupido! Não tenho vida fora de ti!". Entretanto, ela pode estar pensando somente em como pôr suas mãos na rica casa de verão de seu pai. Muitos homens bem conhecidos e talentosos caíram nisso.

A arte consiste em enxergar as riquezas da alma: A fé, lealdade, habilidades domésticas, criatividade, paciência e auto-sacrifício por sua futura cara-metade. Auto-sacrifício, me parece, é a principal manifestação do amor. Ele leveda e ilumina todos os outros lados do caráter. Não temos tempo de falar das altas qualidades da dedicação, gentileza, amor pela ordem, beleza, habilidade de criar beleza em seu redor, ou de remover algo que ama para dar espaço para o bem-amado. Ou ainda a habilidade de trabalhar, costurar, cozinhar, cultivar flores e alimentar os pássaros.

Andar pelo longo caminho da vida não é somente atravessar um campo. Você precisa testar uma pessoa para saber como ela é no trabalho, na batalha, como se conduz com o sexo oposto, no teatro, ou com sua mãe em casa. Você deve examinar bem a fim de determinar se não há nenhuma paixão oculta sob cujo serviço ela esteja sujeita. Alguém pode aceitar a corte e não reconhecer em seu eleito uma dependência pelo álcool que logo depois se manifesta. Isto é muito desagradável.

Assim, temos explicado como Pedro o Príncipe de Murom não se equivocou. Tendo renunciado o julgamento superficial assimilado em sua juventude, ele encontrou na pessoa da filha do marceneiro, Fevrônia, um autêntico e inestimável tesouro. Nas palavras do Apóstolo Paulo, as distintas qualidades de sua esposa consistiam "na beleza incorruptível da humildade e um espírito manso" e "no homem interior do coração". Quem quer que seja capaz de considerar estas sutilezas, que possa ver a verdadeira beleza da personalidade humana, nunca irá ser pego pela máscara externa do glamour, sob a qual tudo pode estar vazio e morto.

Se você não quiser perder a chance de ter uma pessoa com quem você possa caminhar pelo longo caminho da vida, olhe com atenção para ela, mantendo aquela distância de segurança chamada de uma relação casta e cautelosa com seu interlocutor. Se você sentir que a alma de um próximo é acalentada pela piedade e compaixão, se ela possui sincero prazer em servir seu próximo por palavras e atos, se ela sabe como dar graças a Deus e às pessoas, se ela como transpor com calma e perseverança os muitos obstáculos que inevitavelmente se apresentam no caminho daqueles que fazem boas obras - então você encontrou o que busca, sua cara-metade, pisando no terreno do amor altruísta.

Arcipreste Artemy Vladimirov 
Tradução por Fé Russa