Como Aprender a Alegrar-se com o Jejum?

Um conselho do Metropolita Antônio (Pakanich) de Boryspil e Brovary, chanceler da Igreja Ortodoxa Ucraniana.

O jejum não lhe trará alegria se você assumir um fardo esmagador. Não finja ser um santo ou alguém que você não é. Não exerça um papel, mas seja você mesmo. Então você será capaz de assumir o fardo de acordo com sua condição, sentimentos e situação.

Deus não precisa de nosso fingimento e de nossos atos falsos externos, Ele precisa de nosso coração honesto.

A discrepância entre nosso estado interno e ações externas e a imagem que criamos leva à dissonância mental, o que, por sua vez, leva ao desânimo e à depressão.

A carga deve ser aumentada gradualmente, de preferência sob a orientação de um sacerdote. É melhor acordar antecipadamente com o sacerdote que o conhece sobre todos os atos puramente pessoais que você deseja fazer. E não deixe de avaliá-los de acordo com suas próprias forças. Isto lhe ensinará uma lição de humildade, sem a qual o jejum não tem sentido.

A humildade é o que nos traz verdadeira alegria. E se não há alegria durante o jejum, não há humildade em nós.