Por Dentro do Mundo Imaculado do Namoro Ortodoxo Russo

A frequência nas reuniões noturnas do clube regularmente excede 120 pessoas, e os homens tendem a estar em minoria. A maioria das mulheres são Cristãs Ortodoxas praticantes que vêm com o objetivo expresso de encontrar um marido...

MORE:Cultura
Originally appeared at: RadioFreeEurope

MOSCOU - Em um recente domingo de neve, a Igreja da Dormição do séc. XVII estava encerrando o serviço noturno. Os cantos etéreos que durante duas horas encantaram uma congregação em pé ainda ecoavam nas paredes intrincadamente pintadas enquanto o Padre Aleksy Gomonov se retirava para a sacristia para remover suas vestes.

Porém, seu rebanho considerável e surpreendentemente jovem permaneceu. As mesas foram organizadas em fileiras organizadas. Os grossos casacos de inverno foram postos de lado e os smartphones vieram à tona. Números foram trocados, contato visual foi mantido ou evitado e a atmosfera deu lugar a flertes e risadas.

Os participantes do Clube Pedro e Febrônia socializam na Igreja da Dormição em Moscou.


Foi a mais recente reunião do Clube Pedro e Febrônia, uma espécie de noite de encontros relâmpagos para os Cristãos Ortodoxos de Moscou. Todos os domingos, após o serviço final da semana, o Padre Aleksy reúne os homens e mulheres solteiros de sua paróquia e todos os que desejam se juntar. Enquanto eles conversam comendo sanduíches de pepino e chá preto, ele dá conselhos sobre relacionamentos juntamente com os ensinamentos da Igreja.

Muitos vêm para encontrar sua cara-metade, do jeito antigo. Outros buscam um companheiro para caminhadas, eventos da igreja ou peregrinações.

Aos 67 anos, o Padre Aleksy é um feliz marido e pai de dois filhos, ostentando uma impressionante barba branca e uma juba de cabelo louro-morango. Nos 20 anos desde que assumiu o comando da Igreja da Dormição, ele fomentou uma comunidade como poucas em Moscou. Os paroquianos têm um acampamento de verão dedicado e um programa de engajamento cívico. Eles organizam aulas de dança de salão e peregrinações a locais sagrados Ortodoxos.

O Padre Aleksy Gomonov dá conselhos aos participantes do Clube Pedro e Febrônia.


Em 2007, eles deram ao Padre Aleksy um presente especial: um ícone representando Pedro e Febrônia, os santos patronos do casamento Ortodoxo. Ele liderou uma oração em sua homenagem naquele domingo, que se tornou um evento semanal. Por fim, ele começou a servir chá e lanches e a encorajar os convidados a se comunicarem. Nascia o Clube Pedro e Febrônia.

Em seus 11 anos e meio de existência, o clube já gerou mais de 200 casamentos, segundo os organizadores. Muitas de suas histórias estão listadas no site do clube.

"As meninas Ortodoxas são mais confiáveis, são mais leais", disse Sérgio, um jovem magro de 29 anos dos subúrbios, vestindo uma camiseta rosa e uma calça jeans, que frequenta o clube há mais de quatro anos. "Você pode ter certeza que elas não vão te trair."

As mesas estavam cheias em minutos naquela noite, e Sérgio ficou conversando à margem com Júlia, uma jovem professora de música". Como outras mulheres presentes, ela usava uma véu na cabeça.

"Meus valores são muito específicos", disse ela. "Talvez eu encontre alguém... ele será Ortodoxo." Então ela riu, acrescentando: "Só acho que ninguém mais poderia lidar comigo".

Júlia e Sérgio (diante do ícone) no evento semanal na Igreja da Dormição em Moscou.


O Padre Aleksy insiste que nunca se tratou de um clube de corações solitários. “É uma reunião social para os jovens”, disse ele. "Onde eles se socializarão, senão aqui?"

Os Cristãos Ortodoxos agora têm uma abundância de recursos para auxiliá-los com a côrte, com vários sites de namoro agora atendendo sua comunidade.

Todavia, aqueles que frequentam o Clube Pedro e Febrônia, e outros semelhantes que estão surgindo na Rússia, dizem que procuram algo que não encontrarão em nenhum outro lugar.

Além da chance de encontrar uma alma gêmea com uma visão de mundo Ortodoxa, esses encontros oferecem uma experiência religiosa diferente dos serviços realizados diariamente nas igrejas de Moscou. Cada reunião do Clube Pedro e Febrônia começa com uma oração conjunta. Então, após um período de conversa livre, todos os olhos se voltam para o Padre Aleksy, que pega um microfone para responder a perguntas enviadas anonimamente em pequenos pedaços de papel. Cada resposta é um sermão em si.

"Padre, se um homem insiste que não terá filhos, o que deve ser feito?", estava escrito na primeira nota que ele escolheu naquele domingo. "Deus criou um homem e uma mulher e disse: ide e multiplicai-vos", respondeu o Padre Aleksy, com seu tom repentinamente apaixonado. "Este homem está violando a lei de Deus, e isso não é bom. Não siga seu exemplo."

O autor da segunda nota queria saber se ele deveria se casar com a filha de um sacerdote. "É uma grande responsabilidade, é claro", disse o Padre Aleksy após uma pausa momentânea. "Tal criatura é excepcionalmente inteligente."

As perguntas continuaram por mais uma hora, investigando desde a cura da solidão até o uso (ou não) de vodca por soldados russos em campanhas militares passadas.

Yekaterina Gromova, assistente do Padre Aleksy e coordenadora principal do clube, disse que a freqгência nas reuniões noturnas do clube regularmente excede 120 pessoas, e os homens tendem a estar em minoria. A maioria das mulheres são Cristãs Ortodoxas praticantes que vêm com o objetivo expresso de encontrar um marido

Os estilos de vida dos Cristãos Ortodoxos variam até certo ponto. Alguns bebem e fumam, enquanto outros mantêm um estilo de vida ascético. Eles não toleram a homossexualidade, que é inequivocamente denunciada pela Igreja. No CLube Pedro e Febrônia, eles professam fidelidade a pelo menos uma regra do namoro Ortodoxo: nada de sexo antes do casamento.

"Sim", disse Pavel Komissarov, um homem de 40 anos robusto e barbudo, vestido com um terno liso. "Você precisa pensar com a cabeça e ser inteligente. Percebi que Deus ajuda muito com isso também." Komissarov, dono de uma construtora em Moscou, participa das noites no Clube desde 2011. Hoje ele vem principalmente para ouvir os sermões do Padre Aleksy e ver velhos amigos.

Levando a Busca Paras as Redes

O Clube Pedro e Febrônia pode ser o maior encontro semanal de solteiros Ortodoxos na Rússia, mas os crentes no mercado não têm falta de recursos para ajudar em suas buscas. Desde os anos 2000, tem havido um aumento de sites de namoro feitos sob medida para eles, com nomes como "O Alfabeto da Fidelidade", "Gaivota" e "Destino".

Eles oferecem acesso a uma comunidade exclusiva em troca de maior escrutínio e conformidade com um código de conduta rígido.

Para se registrar no O Alfabeto da Fidelidade, é necessário preencher um formulário eletrônico que consiste em 78 perguntas detalhadas sobre escolhas de estilo de vida, práticas religiosas e pontos de vista políticos, variando de "Você consideraria um casamento sem relação sexual?" para "Qual é o sentido da vida para você?". Outras perguntas estão relacionadas a questões mais mundanas, como estilo de roupa. A pergunta "Quantos filhos você tem?" oferece um menu suspenso com até 69 opções.

Existem também testes separados sobre o amor (intitulado "Você conhece o amor?"), sobre traços de personalidade e sobre os fundamentos do Cristianismo.

O primeiro site de namoro Ortodoxo da Rússia foi lançado em 2003 por Roman Kolpakov, então um estudante de 24 anos. Um grave acidente de carro naquela primavera deixou Kolpakov com гьф fratura na coluna e paralisia da cintura para baixo - ele ficou acamado por meses, conforme relatou a uma entrevista, tendo a Internet como sua única conexão com o mundo.

Ele acessava fóruns online e se registrava em sites de namoro seculares, mas não gostava da promiscuidade que eles promoviam. Percebendo que não havia plataformas adequadas para a comunidade Ortodoxa, ele começou a trabalhar no que se tornaria "Os Paroquianos", o maior site de namoro Ortodoxo da Rússia com cerca de 86.000 membros hoje.

"Havia compreendido que muitas pessoas carecem de algo assim", disse ele durante o chá em seu apartamento em Moscou, onde mora com sua esposa, Natalya, que conheceu online em 2006, e um gato malhado cinza. "Para uma pessoa Ortodoxa praticante, é muito mais difícil encontrar um parceiro com a mesma opinião."

Roman Kolpakov, fundador do site de namoro Ortodoxo Russo "Os Paroquianos" e sua esposa, Natalya, em seu apartamento em Moscou


Essa é a lacuna que o Clube Pedro e Febrônia, e outros como ele, procuram preencher. Roman Lunkin, um especialista religioso da Academia Russa de Ciências, acredita que os fiéis estão se afastando lentamente dos sites de namoro e procurando oportunidades de encontrar pessoalmente parceiros em potencial. Agora existem reuniões Ortodoxas semelhantes em Kirov, Barnaul e em muitas outras cidades Russas.

"Encontraremos uma linguagem comum com os Céus"

Por volta das 21h, depois que a recente reunião norturna do clube terminou, Gromova e seus assistentes começaram a limpar as mesas e preparar a igreja para o serviço na manhã seguinte. Júlia e Sérgio foram para um café nas proximidades com dois outros casais, enquanto outros voltavam para casa na neve que ainda caía.

Andrei, um eletricista de 28 anos que ajuda na limpeza, estava otimista. Ele marcou um encontro com uma garota que conheceu naquela noite e se sentiu bem com isso. Ele tem poucas expectativas de sua futura esposa além de amor e lealdade, e que ela é uma Cristã Ortodoxa praticante como ele.

"O que é mais importante para mim é a maneira como ela trata as pessoas", disse ele, equilibrando uma mesa dobrável na neve fresca. "Além disso, se ela for decente, de boa família e tiver boa educação e moral, acho que encontraremos uma linguagem comum com os Céus".

MORE:Cultura
  • Shqip
  • العربية
  • English
  • Français
  • Deutsch
  • Bahasa Indonesia
  • Italiano
  • Português
  • Русский
  • Español