Estão a Abandonar Deus nos EUA

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, com a maioria de seus membros representando o Partido Democrata, votou para derrubar as definições de gênero em documentos oficiais.

Ou seja, não será mais possível escrever "ele", "ela" e outras indicações de gênero.

Não será mais permitido escrever "ele" e "ela" e outras indicações de gênero. Foto: Centro de Conhecimento


1️. A decisão foi tomada após a derrota política de Donald Trump e do Partido Republicano, que apóia os valores tradicionais. Esta decisão testemunha que os Democratas seguiram um rumo não para uma política conciliatória, mas para mais confrontos, uma luta até o fim. Todavia, Trump, os Republicanos e, consequentemente, os valores conservadores (mais ou menos) que eles promovem são apoiados por metade da América (mais ou menos). Ou seja, a gravidade do confronto político vai crescer. Uma vez que esse confronto já afeta as questões religiosas, as organizações religiosas nos Estados Unidos não poderão mais ficar à margem. Teremos que escolher. A propósito, o Patriarcado de Constantinopla e sua Arquidiocese Americana já fizeram sua escolha - eles são pelos Democratas e, portanto, pela abolição de "ele" e "ela", permitindo o aborto, a promoção de pessoas LGBT e assim por diante (até agora indiretamente, pelo menos).

2️. Os EUA estão rejeitando Deus e o princípio que está escrito nas notas Americanas: "In God We Trust" (N.T.: "Em Deus Confiamos"). Entretanto, a Bíblia diz sobre a criação do homem: “E Deus criou o homem... homem e mulher os criou” (Gênesis 1:27). Isto é, não um sexo intermediário, mas um homem e uma mulher. Agora é diferente nos EUA.

3️. Livros, e às vezes filmes, por vezes são proféticos, mostrando-nos o que nos espera. Aparentemente, "isso" é o que podemos esperar. Quem não conhece o filme de terror de maior bilheteria, que gira em torno de uma criatura que pode assumir diferentes formas? Essa criatura não é de forma alguma um personagem positivo.